Luigi Rotunno

Equipe é tudo! Um modelo de negócio de sucesso se constrói em equipe. Os colaboradores são a alma do negocio. É necessário identificar qual o seu “colaborador alvo”, aquele que vai fazer a diferença. Uma empresa tem como dever de cuidar de sua equipe e identificar as necessidades do bem estar dos mesmos e de suas famílias.

A liderança é um processo em constante evolução. Acredito que as pessoas podem mudar, e todos nascemos iguais com as mesmas oportunidades. O que muda é que crescemos de forma diferente e moldamos nosso caráter de forma individual. Compartilho a teoria da sócia psicóloga americana Amy Cuddy, “podemos mudar alterando nossa postura”.

Nada se acha tudo se constrói. Até lideres são uma construção permanente. Os melhores colaboradores são os frutos que você colheu verdes e os fez amadurecer com muita atenção e carinho.

O tempo não é o elemento determinante para construção de um bom líder, mas sim a intensidade do trabalho desenvolvido.

  • Ser líder significa construir ambientes de pessoas onde as emoções sejam compartilhas e todos estejam com vontade de fazer o “bem”;
  • Ser um líder significa criar oportunidades para sua equipe e as pessoas à sua volta;
  • Ser líder significa ter vontade de aprender e estudar, pois só assim terá algo para dividir com sua equipe;
  • Ser líder significa construir uma história de vida.

Capacitar seus colaboradores é uma medida imprescindível ao sucesso de uma empresa. O treinamento profissional segue a evolução de nossa sociedade e o desejo de consumo do hóspede. Sabemos que essas mudanças são sempre mais rápidas e impactantes.

Além do conhecimento técnico, é fundamental alinhar as estratégias e a filosofia da empresa com todos seus colaboradores. Os grupos de profissionais devem ser divididos em núcleos, cada um com sua função definida. A sinergia dos núcleos em volta do objetivo principal da empresa deve ser monitorada constantemente para permitir um resultado perfeito.

Se deseja saber como está uma empresa, pergunte para seus colaboradores. Nem sempre a diretoria sabe como está a saúde de sua empresa realmente. Ocupados com questões de planejamento, metas e problemas operacionais, os diretores, às vezes, esquecem ou dizem que não têm tempo de olhar para o coração da empresa. Estamos atravessando uma época de forte mudança no método de gestão empresarial, onde o líder controlador deve se transformar em um líder inspirador e motivador.

Monitorar a satisfação de seus colaboradores é tanto importante quanto a de seus hospedes. Eles vivem em perfeita sinergia o período da hospitalidade e devem se confundir em um único ambiente onde serviço e satisfação se casam e não se cruzam. Na sociedade moderna o hospede queria ser bem atendido pelo profissional, na post-moderna ele quer ser “amigo”, buscando maior aproximação.